atividadesCerimónias e Celebrações Celtas

SKU: J13L1-1

Valores sob consulta

Descrição

Cerimónias Celtas
Condições
Orçamentos
Preparativos

Agende a sua reunião.
Marcações e agendamento por email
https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2021/01/IMG_7604-640x786.jpg

Mariette Capinha

Natural de Moçambique, cidade da Beira e a residir em Vila Nova de Gaia.
Acumula funções de mãe, esposa, companheira, amiga e confidente, seguindo uma fórmula de sucesso cuja patente mora no seu coração.

Owner na empresa Academia Florescerdoser

Sacerdotisa Celta (Linhagem Avalon)
Moon Mother
Mestre Reiki
Terapeuta
Facilitadora de Círculos de Mulheres
https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2021/09/IMG_2406.jpg

Cerimónias Celtas

https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2021/09/IMG_1290_Original-scaled.jpg


Celebrações da Roda do Ano Celta

“Todos somos mestres e aprendizes, Todos vimos curar algo,
Todos vimos aprender algo, Todos vimos ensinar algo”

Louise Hay

Celebrações da Roda do Ano Celta

https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2021/07/Captura-de-ecrã-2021-12-23-às-20.33.08-640x638.png

A Academia Florescerdoser convida a virem celebrar a Roda do Ano Celta,

Nestes encontros celebramos a vida, os ciclos do Solares, os equinócios e os solstícios.

Partilhamos essencialmente conhecimentos, cura, alegria, afetos… 

São encontros de;

  • Dança, musica e movimento.
  • Aprendizagem
  • Partilha de abundância e afetos.
  • Momentos de cura, autoconhecimento e tomada de consciência.

A Roda do Ano Celta,

A roda do Ano Celta simboliza para os pagãos e principalmente para os Celtas  a celebração do calendário solar.
São chamados os festivais Druidas.
Os Celtas viam o tempo de forma circular em vez de linear. Seus calendários levavam em conta o ciclo solar e o ciclo lunar.
Na tradição Celta, os ciclos Solares ocorrem oito vezes ao ano, levando-se em conta a posição da Terra com relação ao Sol: Equinócios e Solstícios. Estes ciclos representam os Sabbats.

Os Celtas também comemoram o ciclo Lunar, que representam os Esbats.
Os Esbats correspondem as 13 Luas Cheias de um ano lunar.
Estas Luas são comemoradas de acordo com o seu significado, energia, vibração.

Estes festivais são comemorados na Academia Florescerdoser.

Festivais Celtas

Estes festivais Celtas têm como objetivo a celebração dos vários ciclos da vida, das estações do ano, do Planeta, da Terra e do Universo.
São festivais solares porque representam o ciclo solar durante o ano.

O primeiro festival começa com o Samhain, representa o inicio do ano Celta e corresponde ao solstício de Inverno.

Samhain significa “Sem Sol” ou fim de Verão.

Assim ao longo do ano iremos estar reunidos a celebrar e a dançar a vida.

4 Sabbats  Maiores

Samhain – 31 Outubro

Imbolc – 1 ou 2 de Fevereiro

Beltane – 30 Abril ou 1 de Maio

Lammas – 1 ou 2  de Agosto

4 Sabbats menores

Yule – 21 ou 22 de Dezembro – Solstício de Inverno

Ostara – 21 ou 22 de Março – Equinócio da Primavera

Litha – 21 ou 22 de Junho – Solstício de Verão

Mabon – 21 ou 22 de Setembro – Equinócio de Outono

Processed with MOLDIV

Cerimónias Celtas

Criar e realizar cerimónias, celebrações, rituais sagrados e ritos de passagem, é uma das funções principais de uma mulher Sacerdotisa ao serviço da Deusa.

A sacralidade dos ritos de passagem.
A sacralidade das cerimónias como marcos na vida,
Viver e estar em unicidade com os ritmos da Terra, da Lua, das estações do ano e do pulsar do universo são dádivas que nos ajudam a experimentar as energias divinas entre todos nós.

São momentos únicos para trazer um novo significado para nossas vidas

Ritos de Passagem

Celebração da Menarca – Chegada da primeira menstruação

Cerimónia Celta de Casamento ou União de Mãos – Handfasting

Renovação das Bodas de Casamento

Celebração do Parto – O Chá de bebé,  Abençoar a vinda do bebé, o casal e a nova família e amigos

Cerimónia de Nomeação – Benção para bebés e crianças

Cerimónia Celta de Aniversário –  inicio de um novo ciclo solar

Cerimónia de Consagração da Mulher – Rito de passagem, Pré-menopausa e Menopausa

Funerais – Rota Sagrada das Almas

Roda do Ano Celta

Cerimónias e ritos de passagem Celtas

Cerimonias Celtas

Menarca
https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2021/01/EEDCC20D-443D-4CB6-89CB-68CE1C99A7F5-160x160.jpg

Celebração da Menarca – Chegada da primeira menstruação

União de Mãos
https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2021/07/IMG_4554-160x160.jpg

Cerimónia Celta de Casamento ou união de mãos – Handfasting

Renovação de votos
https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2021/07/IMG_4512-160x160.jpg

Renovação das Bodas de Casamento

Celebração da Gravidez e do Parto
https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2020/08/Sagradamae-150x150.png

Celebração do Parto – O Chá de bebé,  Abençoar a vinda do bebé, o casal e a nova família e amigos

Cerimónia de Nomeação
https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2020/11/happykids-150x150.png

Cerimonia de Nomeação – Benzimento para bebés e crianças

Aniversários
https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2021/02/Terapias-no-Feminino-160x160.jpeg

Cerimónia Celta de Aniversário –  inicio de nono ciclo solar

Pré-menopausa e Menopausa
https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2021/10/IMG_4614-160x160.jpg

Cerimónia de preparação da Menopausa

Funerais
https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2021/10/Captura-de-ecrã-2021-09-06-às-13.04.52-160x160.png

Funerais – Rota Sagrada das Almas

Benção das casa, negócios, espaços
https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2020/08/bu-curso-160x160.png

Benção das casa, negócios, espaços

Banimento e Limpeza de pessoas, casa e espaços
https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2021/03/IMG_6052-160x160.jpg

Banimento e Limpeza de pessoas, casa e espaços

Celebrações da Roda do Ano Celta

Roda do Ano Celta - 8 Sabbats

Samhain – 31 Outubro

Imbolc – 1 ou 2 de Fevereiro

Beltane – 30 Abril ou 1 de Maio

Lammas – 1 ou 2 de Agosto

Yule – 21 ou 22 de Dezembro – Solstício de Inverno

Ostara – 21 ou 22 de Março – Equinócio da Primavera

Litha – 21 ou 22 de Junho – Solstício de Verão

Mabon – 21 ou 22 de Setembro – Equinócio de Outono

Celebrações Pagãs
Ser Sacerdotisa
SAMHAIN
https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2021/03/IMG_0270_Original-160x160.jpg

Roda do Ano CeltaSamhain
31 Outubro

Samhain

O Samhain é uma das 8 celebrações da roda do ano celta,

Vivenciar o Samhain num círculo de mulheres é entrar numa dimensão onde o passado e o presente do nosso feminino é vivenciado numa  dança sagrada de mistérios e descobertas.

Pessoalmente este tempo sempre me tocou bastante.

Descer ao útero da grande Mãe Divina e ser acolhida e guiada pela mão da Deusa Ategina, é fazer uma jornada ao encontro das sombras, do desconhecido e do poder da ancestralidade.

Criar e fazer o caminho no labirinto ao encontro do outro lado do véu e ouvir as vozes e mensagens da sabedoria ancestral,  é a magia da descoberta da imortalidade.

Ajudar na cura da Mãe Terra, criando um altar na natureza, ofertando, dançando e partilhando dádivas é poder ser una com uma verdade esquecida.

Ajudar a criar e abrir portais de passagem para entidades perdidas no apego do seu passado é contribuir para o equilíbrio do sistema e o reconhecimento do legado deixado por quem partiu.

É uma tarefa para mulheres sacerdotisas ao serviço da Deusa.

Cear com a ancestralidade é um regresso ao doce crepitar da lareira, dos sabores da cozinha das avós, do vinho das vinhas sagradas e das conversas aquecidas pelo fogo das experiências de quem vem antes de nós.

É ser Deusa Hestia por uma noite.

Fazer a viagem até ao jardim das hesperides é conhecer o caminho ao encontro do barqueiro de Ategina, ao paraíso do jardim das maçãs de ouro e ao abraço da guardiã sagrada do rio da morte.

É tomar consciência, que o fim é sempre o início de mais uma etapa na evolução do Ser, É voltar a ser uno com o todo.

É vir do útero da  Mãe Divina para regressar de novo ao seu útero cósmico.

Viver o Samhain é ter a oportunidade de fazer a preparação para entrar no inverno, no subconsciente, nas sombras e iniciar mais um processo de morte e transformação para um renascer na próxima primavera.

Yule
https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2021/07/IMG_4893-160x160.jpg

Roda do Ano CeltaYule

21 ou 22 de Dezembro
Solstício de Inverno

Yule

O Yule é uma das 8 celebrações da roda do ano celta,

Yule chega com o solstício de Inverno no dia 21 de Dezembro e estende-se por Janeiro adentro.
Yule é considerada para a cultura Celta a primeira celebração da roda do ano.
É tempo de recolhimento, mas também de partilha da nossa abundância gerada ao longo do último ano, ao longo da vida.
É tempo para celebrarmos a família, os amigos, a abundância, a vida e o início de um novo ano.
Celebramos a energia do inverno, do frio, do gelo. Celebramos o recolhimento e o acolhimento umas vezes em solitude outras em partilha.
Este é o tempo para começarmos a planear o novo ano e despertarmos para a cocriação de novos sonhos, projetos e ideias.
Nesta altura construímos a nossa “caixa dos sonhos” ou um “vision map” que poderá ser pessoal, familiar, empresarial, profissional, isto porque, Yule representa o reencontro com as nossas esperanças.
Em recolhimento conectamo-nos com a Deusa Cale do Ar, A Deusa Ana e deixamos ir o velho e trazemos a nós a energia e as medicinas do ar e do Norte, dos ventos de mudança, da inspiração, da clarividência, da intuição e do movimento da dança da vida.
Trazemos até nós a visão panorâmica e periscópica da Águia, do Falcão, dos Silfos, a visão do todo em expansão.
Invocamos o apoio da Hespéride Germana e da Moura Tecedeira que tece os fios etéricos da vida, para nos ajudar a tecer uma nova promessa de ideias, projetos e sonhos, a concretizar durante o próximo ano.
Sendo ainda um tempo de recolhimento, também é altura de contacto com a nossa sombra e pedir á Deusa Negra que nos apoie na tomada de consciência de padrões, crenças, atitudes, formas de pensar, ser, estar e existir que já não servem o nosso bem maior, deixando que o nosso caldeirão alquímico do subconsciente consiga transformar, dores em Dons, velho em novo e que o despertar a nossa criança interior nos permita uma transformação em seres mais leves, alegres, plenos e harmoniosos.
É tempo de nos autorizarmos a renascer numa nova e melhor versão de nós mesmos.
Nesta altura decoramos o nosso altar com as cores cinza prata, azul anil e partilhamos oferendas de frutos secos e romãs. Continuamos a honrar as tradições e os conhecimentos da sabedoria ancestral e a dar atenção aos entes queridos que partiram.
Este é o tempo para agradecer, honrar e libertar a ancestralidade e apoiar as almas no seu renascimento e fusão com a Luz, com a energia cósmica e divina.

Esta também é a altura de honrar, decorar e sacralizar a árvore do Pinheiro, árvore sagrada e das mais antigas no planeta terra, que representa a vida e a imortalidade, mas também o azevinho, símbolo de paz e proteção com as suas bagas vermelhas que representam o sangue sagrado da mulher.

Por fim, este também é o tempo para nos dedicarmos a consulta dos oráculos, da bola de cristal ou do mapa astral.
Tempo para escrever um diário onde registamos a nossa caminhada, projetos, sonhos premonitórios, dificuldades e estratégias para vencer as diversidade do destino.
Tempo para dançar a transformação e o renascimento.

IMBOLC
https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2021/02/IMG_1173-160x160.jpg

Roda do Ano CeltaImbolc

1 ou 2 de Fevereiro

IMBOLC


O Imbolc é uma das 8 celebrações da roda do ano celta
,

No dia 1de Fevereiro, a meio do inverno, quando a terra se está recuperando, o Sol se fortalecendo e a natureza se preparando para a chegada da Primavera, festejamos o regresso da Donzela Menina e as Bênçãos da Deusa Tríplice, Iria Brígida.
Festejamos a alegria de ver a natureza despertando do sono de Inverno, envolvendo-nos num manto verde de cura, força e rejuvenescimento.
Imbolc inicia um novo ciclo de plantio e de vida.
É o tempo em que Perséfone começa a preparar-se para regressar do infra mundo,
trazendo novamente a alegria e a força da natureza, que se prepara para começar a gerar vida e abundância.
A natureza desperta e a luz progressivamente vai-se instalando e expandindo.
Do interior da terra começam a germinar as primeiras sementes, que graças a forças secretas, em breve nos irão abençoar com uma nova primavera.
Este é o tempo de novos começos e o tempo de iniciar novos projetos.
É tempo de nos libertarmos e purificarmos da escuridão e solidão do inverno.
É tempo de abrir as janelas e deixar entrar o ar fresco da vida.
É tempo de insuflar o nosso fogo interior, o fogo da inspiração, da transmutação, dos talentos, da paixão, das artes e ofícios e o poder da forja que tudo transforma em abundância.
Com Imbolc chegam as medicinas do Este e do elemento Fogo.
As medicinas dos animais sagrados, o poder da renovação da cobra, a nutrição da vaca, a intuição e liberdade do lobo e a pureza do Cisne que representa a união entre o fogo e a água.
Imbolc representa força, coragem e capacidade de sonhar e acreditar.
Representa a donzela menina, Iria Brígida, a Lua em quarto crescente e a pré-menstruação do ciclo feminino.
É tempo de trazer a esperança ao nosso coração e começarmos a limpar os nossos úteros para gerarmos novos projetos, ideias e quem sabe vida.
É tempo para abençoar os nossos úteros e prepará-los para um futuro

OSTARA
https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2021/02/IMG_1250-2-160x160.jpg

Roda do Ano CeltaOstara

21 ou 22 de Março
Equinócio da Primavera

OSTARA

 

Ostara é uma das 8 celebrações da roda do ano celta,

Dia 21 de Março comemoramos a chegada da grande Mãe do fogo, da Luz e da fertilidade.

Comemoramos a chegada do Equinócio da Primavera, que significa o fim do Inverno e o início de uma nova Estação.

Ostara é o festival em que celebramos a chegada do Sol, dos pássaros migratórios, dos animais que despertam do seu sono de inverno e deixam suas tocas.

É o tempo de celebrar as Deusas Solares que representam a Lua receptiva e o Sol que irradia.

Deusas férteis, deusas de força, coragem, movimento e ação.

É tempo de celebrar Aurora, Deusa do parto que dá á o Sol a cada manhã,
Ártemis e Trebaruna, Deusas dos animais, dos prados e da floresta e
Marciana, senhora da Aveleira, árvore sagrada.

Em Ostara, somos convidados a revolver a terra e semearmos a alegria, o amor, as metas, os objectivos e a vida.

Recebemos e integramos em nós, a energia da Donzela exploradora, livre, entusiasta, curiosa, firme na sua verdade, convicções e essência.

Do interior da terra sobe a força da seiva e o despertar da natureza surpreende-nos com o colorido e os aromas das flores primaveris.

É nesta altura que a nossa energia desperta e o movimento da vida recomeça.

As Deusas solares trazem a energia do fogo, o fogo do Sol, o fogo do útero, o fogo do interior da terra, o fogo da mente, o fogo físico e da matéria, o fogo emocional, o fogo do entusiasmo, o fogo do espírito e o fogo da Kundalini

Acendem-se fogueiras ao nascer do Sol, os sinos tocam e é tempo de pintar e decorar ovos cozidos que representam a Deusa da Fertilidade, símbolo de toda a criação, dos nossos projectos e intenções.

Pintamos ovos cozidos e fazemos pedidos de prosperidade, fertilidade e abundância.

Uma das Deusas solares cultuada e Eostre, que significa Deusa da Aurora, símbolo de ressurreição e renascimento.

A Deusa Eostre é sempre retratada com coelhos e Lebres a sua volta, símbolos de fertilidade da Deusa.

Tal como a Lua, também o ciclo de gestação dos coelhos tem 28 dias de lunação.

Ostara, é tempo de renovação e de plantar novas sementes para que o novo nasça em nossas vidas.

Este é o tempo de fazer oferendas de pão e bolos e fazer piqueniques na natureza.

Feliz Ostara!

BELTANE
https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2021/12/Captura-de-ecrã-2022-06-04-às-22.56.37-160x160.png

Roda do Ano CeltaBeltane

1 de Maio

BELTANE

 Beltane é uma das 8 celebrações da roda do ano celta, Momento de grande exuberância e beleza.

Dia 1 de Maio comemoramos a chegada da Deusa Amante e preparamo-nos para receber as bênçãos da Iccona-Loimina,

as energias da Senhora da soberania da Terra, da fertilidade e da sexualidade sagrada.

Com a chegada da Primavera é tempo para celebrarmos em festa o encontro com prazer da vida.

Este é o tempo do encontro dos amantes, o encontro com o fogo da paixão,

Celebramos o amor e o acasalamento que gera a nova vida.

Beltane é o festival em que celebramos a fertilidade manifesta também através dos campos floridos, cheios de cor e

aromas, celebramos com sensualidade o prazer da sexualidade como algo sagrado e inerente a todos os seres.

Iccona loimina é a nossa Deusa Amante, senhora da fertilidade e da Soberania da Terra.

Este é o tempo das flores, das grinaldas coloridas, dos colares de pétalas,

E tempo de nos sentirmos, criativas, férteis, desejadas, perfeitas, vivas.

Celebramos Beltane reconhecendo a nossa formosura, graça, dons e talentos e damos voz e expressão a nossa

criatividade, desfrutamos do prazer de estarmos vivas.

Em Beltane, somos convidados a percorrer os prados verdejantes descalças, a promover encontros na natureza, a festejar a alegria, o amor, a sensualidade e a sexualidade.

Recebemos e integramos em nós, a energia da amante e da Senhora dos prazeres.

A Deusa Amante, Rainha de Maio, Senhora das flores, é retratada com os bandos dos pequenos pássaros, a Égua branca e os cavalos.

Celebramos comendo e bebendo vinho tinto, sidra ou suco, bolo de mel, pães e frutas vermelhas. Em várias regiões de Portugal neste tempo celebramos a festa das Maias e o dia da Espiga.

Em outros lugares do mundo uma das mais belas tradições de Beltane é o MAYPOLE, ou MASTRO DE FITAS, ou o Pau de Maio.
Trata-se de um mastro enfeitado com fitas coloridas e de um ritual onde cada membro escolhe uma fita de sua cor preferida e pede um desejo.

Uma dança é realizada onde todos os participantes devem girar trançando as fitas, como se estivessem tecendo seu próprio destino e pedindo proteção e a bênção da Deusa.

Celebrar Beltane é também celebrar os mistérios do sangue, da menstruação e tempo para encontros de círculos de mulheres. Recuperar tradições antigas como a tenda vermelha é uma proposta de Beltane.

Feliz Beltane!

 

LITHA
https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2021/12/Captura-de-ecrã-2022-06-04-às-22.56.04-160x160.png

Roda do Ano CeltaLitha

21 ou 22 de Junho
Solstício de Verão

Litha – Solstício de Verão

Litha é uma das 8 celebrações da roda do ano celta, momento de fartura e celebração em que as flores, folhagem e gramados encontram-se lindos e abundantemente floridos e verdes e as águas abundantes, frescas e cristalinas.

Tempo para amar, cuidar do nosso cálice onde gestamos a vida e de manter a centelha de paixão gerada pelo fogo de Beltane.

21 de Junho chega com o primeiro dia de verão e este também é o momento em que o poder do Sol chega ao seu ápice.
Muitos dos círculos de pedra, como o Stonehenge, e dos monumentos pré-célticos estão alinhados com o nascer do Sol e nestes locais celebrações ao Sol também são realizadas.

Litha representa o tempo para receber as energias do Sul, as medicinas da água e da Lua e o deixar fluir das emoções.

Este é também o tempo de celebrar a Deusa Nábia, mãe da água, Cale das águas e das Deusas Lunares.
Ao celebrarmos Litha, preparamo-nos para receber as bênçãos das águas, o fluir das emoções, da compaixão, da purificação atraves das águas sagradas das nascentes, das fontes, dos rios, dos mares, dos oceanos, das águas doces e salgadas.

É tempo para tomar consciência e honrar as emoções. Ee tempo para nos permitirmos ser, sentir e existir nas águas das emoções.
Mergulhar nas memórias presentes nos nossos fluidos corporais e participar em terapias de cura e tomada de consciência.

O dia 21 de Junho também corresponde a altura certa para a colheita de ervas aromáticas, medicinais e mágicas porque acredita-se que neste dia a plenitude da força da cura se encontra presente nessas ervas e o seu poder sanador e mágico para a cura de doenças, potenciado.
O alecrim, o rosmaninho, o funcho, o trevo de quatro folhas, o tomilho, a macela, a cidreira, o poejo, a sálvia visco e o azevinho-do-mato, como outras muitas ervas, são colhidas ritualisticamente e usadas para preservar a energia nos tempos frios, para fazer chás medicinais, banhos curadores, calmantes ou energizantes e em encantamentos e sortilégios.

Banhos regeneradores e purificadores como o banho de orvalho; água da lua e curas milagrosas são realizados nesta noite mágica em fontes, rios, nascentes e mares.
Acredita-se também que tudo aquilo que for sonhado, desejado ou pedido na noite de Litha se tornará realidade.
Nesse dia os amuletos do ano anterior são queimados e novos talismãs de proteção, poções para sonhos proféticos e filtros são feitos para aproveitar o grande momento de poder.

Em Litha honramos e recebemos as bênçãos das energias das Deusas das águas, das Deusas Lunares e as energias arquetipícas dos animais marinhos, como os golfinhos, as baleias, as focas, o cavalo, marinho e a Garça Real.

Feliz Litha!

LAMMAS
https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2021/07/Captura-de-ecrã-2021-12-23-às-21.21.23-160x160.png

Roda do Ano CeltaLammas
1 ou 2 de Agosto

LAMMAS

Lammas é uma das 8 celebrações da roda do ano celta, momento da abundância generosa da Deusa Mãe.

Esta celebração acontece a 1 de Agosto e Lammas significa “massa do pão”.

Esta é a festa do pão ou dos bolos brancos que representam o leite materno, é quando celebramos as primeiras colheitas, as colheitas dos frutos, dos vegetais, dos cereais.

As sementes de Imbolc lançadas a terra, foram fecundadas em Beltane e agora dão os seus frutos em Lammas.

Lammas é a abundância da terra.

É a nutrição, a colheita, a abundância,

É tempo de gratidão.

Somos gratas por tudo o que recebemos e por tudo o que conseguimos realizar, somos gratos pelo sucesso, pela saúde, pela amizade, pelo amor, pelos novos projetos.
Somos gratos pelo bom e menos bom porque tudo faz parte.

Nesta época é tradição fazer as bonecas de palha (de milho ou trigo) representando a Senhora do Milho.
Essas bonecas são como amuletos de proteção para todo o ano, até o próximo Lammas, onde são queimadas na fogueira ou no caldeirão.
Na fogueira, as bonecas de milho do ano passado, juntamente com papéis contendo agradecimentos a Deusa, são queimados; isso ocorre como uma maneira de lembrar que devemos queimar (transformar) o passado e utilizá-lo como combustível para o nosso futuro.

Nesta época também lembramos e honramos os animais que contribuem para o nosso bem estar e se movem em rebanhos, animais totémicos como o porco, a vaca, o boi, a abelha, o veado e a Corça Branca, uma epifania da grande Deusa Mãe.

Em Lammas honramos e celebramos a Deusa Caria, Cale a Mãe, a Senhora do leite, da boa hora, do parto, do Ó. Celebramos a abundância, a generosidade da Deusa e o seu apoio no parto.

Feliz Lammas!

MABON
https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2021/02/Captura-de-ecrã-2021-03-06-às-16.09.35-160x160.png

Roda do Ano CeltaMabon

21 ou 22 de Setembro
Equinócio de Outono

MABON 


O Mabon é uma das 8 celebrações da roda do ano celta
,

Nesta época do ano ê tempo para:

🍁Regresso às aulas e compra de material escolar novo,

🍁Guardar as roupas da estação quente e comprar novas para a estação fria,

🍁É tempo de iniciar novamente a correria das rotinas que nos esgotam as energias,

🍁É tempo de comprar mais tralha e pagar contas.

🍁 É tempo para concluir o ainda não terminado…

🧙‍♀️MABON diz-nos outra coisa…

Diz-nos que é tempo para:

🙏Parar e agradecer,

🍂Agradecer os projetos concretizados, os sonhos realizados, as metas atingidas,

🍂 Agradecer o nosso despertar e crescimento pessoal e não só o académico e profissional.

🍂É tempo para reciclar e doar o que já não nos faz falta em vez de acumular tralha,

🍂Transformar uva em vinho, fruta fresca em calda e conservas, tomate em doce, figos e ameixas frescas em frutos secos…

🍂É tempo para conviver, reunir com a família e amigos e comemorar a abundância…

🧙‍♀️MABON questiona-nos se queremos continuamos a ser e a viver o “mais do mesmo”.

☔️A Época em que vivemos aconselha-nos:

A recomeçar a vida agitada e sem nexo, cujos objectivos são sempre ser mais produtivos, competitivos, e pessoas felizes, realizadas e de sucesso como nos filmes e nas redes sociais… o que por vezes são objectivos inconciliáveis…

Incentiva a comparação com o outro pelo ter e ser perfeito, pede-nos para sermos competitivos em vez de generosos… mas…

🧙‍♀️MABON pede reflexão…

🧙‍♀️MABON  convida-nos a vivermos a nossa verdade e começar a tecer a teia da vida de forma saudável, equilibrada e mais humana…

🧙‍♀️MABON é mindfulness

É tempo para viver o presente e olhar para a árvore da vida não como uma jóia que usamos ao pescoço e que nos transformamos…

Mas sim como a jóia que somos em essência e em verdade.

https://florescerdoser.pt/wp-content/uploads/2021/07/Captura-de-ecrã-2021-12-23-às-20.33.08.png

Contacte-nos via email

Quero mais informações!

    Este site usa cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.